Samuel denuncia Dionisio em flor do caribe

Samuel não vai sossegar até fazer Dionísio Albuquerque pagar por todos os seus crimes. Em Flor do Caribe, o ourives vai até a delegacia e conta ao delegado a verdade sobre o que aconteceu no dia em que foi sequestrado.

samuel flor do caribe

“Eu tenho lido os jornais sobre o que aconteceu comigo e eles continuam dizendo que as investigações me apontam como vítima de latrocínio. (…) Mas não foi isso, doutor. Eu quero que fique registrado no processo que eu não fui vítima de uma tentativa de latrocínio. Eu sofri foi um crime racial.”
Relembre o dia em que Samuel quase morreu a mando de Dionísio:

samuel flor do caribe
O delegado não leva muito a sério, mas Samuel explica que Arruda (Jonas Mello) e o seu bando não levaram nada de valor no dia, nem mesmo a turmalina paraíba – uma pedra preciosíssima – que estava carregando.

“Quando eu estive nas mãos desses bandidos, esse tal de Arruda deixou claro o tempo inteiro que a intenção que ele tinha era me matar.”
A autoridade pergunta a Samuel qual seria a motivação do criminoso e o senhor conta que é judeu, que esse foi o motivo pelo qual sofreu uma tentativa de assassinato. O delegado pergunta se existe mais alguma informação que o ourives queira acrescentar e Samuel toma coragem para dizer:

“Eu não posso afirmar que a ideia do crime tenha sido do tal de Arruda. Ele talvez tenha sido o executor, talvez o mandante tenha sido outro.”
“Você suspeita de alguém?”, pergunta o delegado.
Samuel lembra da recomendação de Lindaura (Angela Vieira) e Cassiano (Henri Castelli) para não denunciar Dionísio sem provas. Mas o pai de Ester (Grazi Massafera) decide fazer o que o seu coração manda:

“O mandante foi Dionísio Albuquerque.”

Qual será o desenrolar dessa história?

Continue acompanhando as emoções de Flor do Caribe e saiba tudo sobre os próximos capítulos no resumo da semana, veja aqui.

Treta1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *